Publicado por: Blogueiras do BlogdoLivro | 01/11/2009

Livros vestibular USP e UNICAMP – 2010

Como um dia fomos vestibulandas resolvemos ajudar vocês que irão prestar vestibular esse ano. Aqui vai a resenha da lista dos livros que irá cair nas provas da USP (Universida de São Paulo) e da UNICAMP (Universidade de Campinas):

Livro: O cortiço

Autor: Aluísio Azevedo

Sinopse: O Cortiço é considerado a sua obra-prima. O romance narra, em sua linguagem vigorosa, a vida miserável dos moradores de duas habitações coletivas.(Submarino)

Livro: Capitães da Areia

Autor: Jorge Amado

Sinopse: Publicado em 1937, pouco depois de implantado o Estado Novo, este livro teve a primeira edição apreendida e exemplares queimados em praça pública de Salvador por autoridades da ditadura. Em 1940, marcou época na vida literária brasileira, com nova edição, e a partir daí, sucederam-se as edições nacionais e em idiomas estrangeiros. A obra teve também adaptações para o rádio, teatro e cinema. Documento sobre a vida dos meninos abandonados nas ruas de Salvador, Jorge Amado a descreve em páginas carregadas de beleza, dramaticidade e lirismo.(Submarino)

Livro: Nova Antologia Poética

Autor: Vinícius de Morais

Sinopse: A antiga ´Antologia poética´ de Vinicius de Moraes data de 1954. Foi organizada pelo próprio autor (com a ajuda de amigos, principalmente Manuel Bandeira), que a atualizou em 1967, mantendo sua estrutura. Esta ´Nova antologia poética´ vem assinada pelos poetas Antonio Cicero e Eucanaã Ferraz, e foi lançada originalmente em 2003. Os organizadores reviram conceitos, refizeram a estrutura e montaram uma seleção criteriosa, lançando um olhar renovado sobre a obra viniciana.Tanto a crítica especializada quanto o público reconheceram de imediato que na nova antologia a poesia de Vinicius de Moraes mostra-se mais livre, mais moderna, mais densa e, simultaneamente, mais leve.(Submarino)

Livro: Auto da Barca do Inferno

Autor: Gil Vicente

Sinopse: Poucos são os fatos sabidos e não-controversos sobre a vida de Gil Vicente (1465?-1536?). No entanto, é consenso que ele é o fundador da dramaturgia em língua portuguesa. Estima-se que tenha escrito 46 peças, entre obras em português, em espanhol e, até mesmo, nas duas línguas misturadas. Sua obra mais conhecida é Auto da barca do Inferno, encenada pela primeira vez em 1517. Trata-se de uma alegoria dramática: duas são as barcas em que os personagens podem subir; a do Inferno, munida do Diabo, e a da Glória, encabeçada pelo Anjo. Em cena, é realizado o auto do julgamento das almas, e a maior parte delas segue na primeira barca. Entre os “réus”, um agiota, um sapateiro rico, um tolo, uma alcoviteira, um usurário, quatro cavaleiros e um frade corrupto, além de outros representantes da humanidade. Muito mais do que uma sátira da sociedade lisboeta em princípios do século 16, mais do que uma farsa ou um auto de moralidade (embora também o seja), Auto da barca do Inferno é um bem-humorado arrazoado dos vícios que corroem o mundo e uma crítica ? infelizmente ainda válida ? à organização da sociedade dos homens. Gil Vicente é considerado o primeiro dramaturgo da língua portuguesa, e esta nova edição traz o texto vicentino completamente anotado pela professora Jane Tutikian (UFRGS), que também assina a introdução.(Submarino)

Livro: Memórias de um Sargento de Milícias

Autor: Manuel Antônio de Almeida

Sinopse: Foi publicado em capítulos no suplemento “A Pacotilha” do jornal Correio Mercantil, entre junho de 1852 e julho de 1853, assinado por “Um Brasileiro”, que tinha a pretensão de narrar a atribulada vida de uma criança nascida no começo do século XIX. A obra tornou-se uma das principais produções literárias do Brasil do século XIX.(Submarino)

Livro: Iracema

Autor: José de Alencar

Sinopse: As desventuras da filha do pajé dos tabajaras, que se apaixona pelo primeiro colonizador do Ceará, contadas com uma refinada prosa lírica.(Submarino)

 Livro: Dom Casmurro

Autor: Machado de Assis

Sinopse: A dúvida quanto a traição da mulher amada é o motor do grande clássico de Machado de Assis. Bentinho e Capitu são personagens que vivem até hoje na imaginação dos leitores. (Submarino)

 Livro: A Cidade e as Serras

Autor: Eça de Queirós

Sinopse: Eça de Queiroz, considerado o maior romancista de seu país, inaugurou o Realismo em Portugal. O conjunto de sua obra, incluindo artigos e cartas, traça um panorama crítico da cultura e dos programas sociais e políticos de seu tempo. Seu estilo, que modernizou a prosa portuguesa, é límpido e preciso, e seu tom, cáustico e mordaz, desnuda os vícios da sociedade portuguesa do fim do século XIX. A Cidade e as Serras é uma deliciosa sátira dos progressos ainda canhestros doA Cidade e as Serras é uma deliciosa sátira dos progressos ainda canhestros dos tempos modernos e reencontro do romancista com a paisagem de sua meninice. Vê-se também aí, no jogo dos contrastes, o apego nostálgico à essencialidade honesta da vida ainda natural e limpa do interior. (Submarino)

 Livro: Vidas Secas

Autor: Graciliano Ramos

Sinopse: Obra-prima de Graciliano Ramos, “Vidas secas” exibe o limite da incomunicabilidade e animalização do homem na família de retirantes que se desloca em movimento circular entre uma trégua e outra dada pela hostilidade da natureza. (Submarino)


Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Categorias

%d blogueiros gostam disto: